X oferta imperdivel SAIBA MAIS
O que é Andropausa, sintomas e como é feito o tratamento

O que é Andropausa, sintomas e como é feito o tratamento

Vida Elite | 31/03/2021 | Testosterona

A andropausa é uma condição normal do envelhecimento dos homens, é conhecida como a menopausa masculina e também como Deficiência Androgênica do Envelhecimento Masculino (DAEM). Tudo isso significa a diminuição da testosterona no sangue, um hormônio imprescindível para os homens capaz de controlar a ereção, desejo sexual, força muscular e a produção de espermatozoides. 

A idade é um fator que acarreta a andropausa, que costuma surgir por volta dos 40 anos de idade. Como na menopausa feminina que também é causada por causa da desregulação hormonal (estrogênio), a andropausa masculina (queda da testosterona) também causa sintomas como diminuição do desejo sexual e músculos, o humor é alterado constantemente e a memória fraca também está presente com esses sintomas.

Mesmo com tantas mudanças físicas e psicológicas por causa da queda hormonal, não são todos os homens que apresentam os sintomas característicos da andropausa. Muitos demoram para notar a baixa testosterona e as manifestações são mais discretas do que nas mulheres, já que a diminuição da testosterona é mais lenta.

No mais, os sintomas da andropausa e a queda drástica hormonal pode ser amenizada e prevenida, portanto valorize os sintomas para se tratar o mais rápido possível.

A testosterona baixa, o hormônio sexual masculino desregulado, causa muitas frustrações na vida de um homem, e mesmo sendo uma etapa natural do envelhecimento masculino, controlar a testosterona é possível através de uma reposição hormonal orientada pelo urologista ou endocrinologista e também é possível por meios naturais, você vai entender melhor todos esses pontos com este conteúdo.

O que é Andropausa, sintomas e como é feito o tratamento

Sintomas da Andropausa

Os principais sintomas de andropausa são alterações repentinas de humor, falta de desejo sexual, cansaço extremo e memória fraca. Sintomas típicos de quando ocorre a diminuição dos hormônios femininos, por esse motivo a andropausa é conhecida como menopausa masculina.

Os sintomas da andropausa são:

  • Ereções fracas
  • Ausência das ereções matinais e ereções fracas
  • Falta de desejo sexual
  • Sentimentos de tristeza frequentes
  • Suores e ondas de calor
  • Crescimento de pelos/cabelos prejudicado
  • Infertilidade
  • Falta de foco e problemas de memória
  • Diminuição da massa muscular 
  • Excesso de peso
  • Problemas nos ossos, como osteoporose
  • Ginecomastia (aumento das mamas)
  • Baixa autoconfiança
  • Depressão e ansiedade

Causas da andropausa

É normal com o avanço da idade, em alguns homens a partir dos 30 anos, ocorrer a queda natural da produção de testosterona (e não demasiada) no organismo dos homens. Contudo, mesmo com a produção de testosterona diminuída é possível manter a fertilidade, isso varia de homem para homem.

Outros fatores que aceleram a potencializam ainda mais a queda da produção de testosterona pode ser a genética e hereditariedade e os hábitos de vida, como uma alimentação pobre em vitaminas e minerais e também pessoas com estresse em excesso.

Outras causas da andropausa são:

  • Hipertensão;
  • Diabetes tipo 2;
  • Alcoolismo e tabagismo;
  • Medicamentos que afetam os testículos;
  • Obesidade;
  • Disfunções tireoidianas;
  • Insuficiência renal.

A retirada dos testículos por causa de algum tumor também provoca a andropausa comum e precoce, pois os testículos são os produtores da testosterona, retirando o órgão existe a necessidade de realizar a reposição hormonal.

Andropausa precoce

A andropausa precoce ou prematura é a diminuição demasiada dos níveis da testosterona, conhecida como hormônio masculino em homens com menos de 50 anos de idade. Fato que é preocupante, pois níveis baixos de testosterona causam diminuição da libido, ereções fracas, fadiga, depressão e até infertilidade. É comum que a testosterona diminua gradativamente de acordo com o envelhecimento, mas quando acontece muito cedo podemos chamar de andropausa precoce.

Nesse caso os causadores são os mesmos, tendo como principais a hereditariedade, genética e maus hábitos de vida.

"É importante que desde cedo o homem jovem cuide de sua nutrição, comendo alimentos verdes e faça gestão do estresse, para que seus níveis de testosterona estejam sempre em alta."

Portanto, o tratamento da andropausa precoce também pode ser feito através da reposição hormonal e com forma naturais de melhorar a produção hormonal, clique aqui para saber mais.

O que é Andropausa, sintomas e como é feito o tratamento

Como confirmar o diagnóstico da Andropausa

Além dos sintomas, o exame de sangue que mede a quantidade de testosterona no corpo é capaz de identificar a andropausa, o que significa níveis menores do que aproximadamente 235 ng/dL.

Como é feito o tratamento para andropausa

O tratamento médico para andropausa é chamado de reposição hormonal, que é responsável por normalizar os níveis de testosterona no homem. Esse tratamento é feito através de remédios sintéticos de testosterona, como os comprimidos, injeções, géis e adesivos.

Porém, esse tipo de tratamento é invasivo e pode causar efeitos colaterais, portanto todo o processo deve ser orientado e acompanhado pelo endocrinologista ou urologista. É recomendado apenas quando o paciente não possui hábitos de vida saudáveis que estimulam essa produção hormonal naturalmente.

Durante o tratamento também é necessário acompanhar os níveis de testosterona total e livre para analisar o andamento do tratamento, além disso exame para avaliar o SHBG também pode ser solicitado.

Outra área da saúde do homem que também é avaliado durante e após o tratamento para andropausa é a dosagem do PSA, que se trata de exames que mostram alguma possível alteração na próstata causada pelo tratamento. São avaliadas outras áreas da saúde que também podem resultar em possíveis efeitos colaterais como hipertensão, câncer de próstata, infertilidade, ginecomastia (aumento das mamas) e doenças no fígado. 

Desse modo, antes de qualquer procedimento invasivo, é super interessante para um homem com os sintomas da andropausa entender o motivo de sua queda hormonal. Portanto, se você for um cara sedentário, que não costuma comer alimentos saudáveis e que vive estressado, recomendo que você leia o próximo tópico desse conteúdo.

Veja mais: remédios para testosterona em 2021.

Como aumentar a testosterona naturalmente

Além da testosterona sintética, é possível estimular a produção de testosterona no organismo de forma natural, como por exemplo:

  • Abandonar o sedentarismo e praticar exercícios físicos no mínimo 3 vezes por semana;
  • Controlar o peso;
  • Ter uma alimentação rica em zinco, magnésio e vitamina A;
  • Tomar sol também é importante;
  • Fazer a gestão do estresse e controla a depressão, se houver;
  • Dormir aproximadamente 7 horas por noie;
  • Consumir suplementos que aumentam a testosterona.

Deste modo, o organismo dos homens pode voltar a produzir mais testosterona de forma natural, fazendo com que os sintomas da andropausa e andropausa precoce sejam amenizados, além de também estar melhorando a qualidade de vida.

Para isso, temos um conteúdo exclusivo sobre como aumentar a testosterona que você pode ver clicando aqui.

Dicas para alivar os sintomas da andropausa

Você viu que estimular a produção de testosterona naturalmente antes de tudo é a melhor opção, contudo, para aliviar ainda mais rapidamente os sintomas da andropausa você pode utilizar algumas opções naturais.

Como por exemplo o chá de tribulus terrestris ou chá de maca peruana, que são plantas medicinais que além aumentar os níveis de testosterona, também são ótimos remédios para impotência sexual, que inclusive é um dos principais sintomas da andropausa. 

Outra opção é fazer a gestão do estresse por meio de praticas como meditação, yoga e respiração profunda.

Fatores de risco da andropausa

Não ignore a sua dúvida quanto a andropausa e a baixa testosterona, exclusivamente porque esse declínio hormonal pode acarretar em problemas de saúde, como osteoporose, anemia, depressão e doenças cardíacas